Description

A coleção herpetológica do Museu de Zoologia reúne o maior acervo de répteis e anfíbios sul-americanos do mundo, figurando entre as seis maiores coleções herpetológicas existentes. Conta atualmente com cerca de 260.000 exemplares (120.000 répteis e 140.000 anfíbios) sendo que 468 deles são espécies-tipo, uma coleção de tecidos com aproximadamente 6.850 amostras e uma coleção de esqueletos com mais de 1.000 exemplares preparados a seco ou diafanizados. Suas coleções vêm sendo digitalizadas para permitir seu melhor gerenciamento. Tem sido continuamente usada por especialistas do Brasil e do exterior como base indispensável para pesquisas e na formação de recursos humanos na pós-graduação. Recebe, anualmente, mais de 30 visitantes do Brasil e do exterior. Incontáveis alunos de iniciação, aperfeiçoamento, mestrado e doutorado, hoje trabalhando nas mais diversas instituições brasileiras, também visitam a coleção de Herpetologia para ali complementarem suas pesquisas. Atualmente, a coleção de Herpetologia do MZUSP representa referência incontornável para qualquer pesquisador que realize trabalho revisionário sobre a herpetofauna Neotropical. O papel de destaque da coleção contribui também para que esta seja escolhida preferencialmente pelos pesquisadores que queiram depositar grandes coleções e material-tipo oriundo de suas pesquisas.

Seu início deu-se a partir de coletas esporádicas de E. Garbe, ainda no Museu Paulista. Em 1918, José Florêncio Gomes, do Instituto Butantan, identificou as serpentes. No começo da década de 20, Alípio de Miranda Ribeiro, do Museu Nacional do Rio de Janeiro, identificou os anfíbios e publicou os resultados das suas pesquisas na Revista do Museu Paulista. Já na década de 30, Afrânio do Amaral, também do Instituto Butantan, identificou parte dos lagartos, publicando também os seus resultados.

Em 1940, na passagem das coleções para o prédio atual, o Padre D. José Kretz, contratado pelo Museu para cuidar das coleções, resolveu tirar os rótulos dos vidros e colá-los num caderno, o que causou grande confusão.

Em 1946, Paulo Emílio Vanzolini assumiu a curadoria da coleção com aproximadamente 1.200 números, correspondentes a exemplares ou lotes. P.E. Vanzolini ampliou as coleções de Herpetologia para as suas dimensões de hoje. Miguel T. U. Rodrigues, pesquisador do Instituto de Biociências da USP e diretor do MZUSP entre 2000 e 2004, teve também um papel fundamental nesta expansão, com contribuição proveniente de coletas por todo o Brasil. Recentemente, enormes séries oriundas de resgates de fauna realizados em empreendimentos hidrelétricos vêm sendo incorporadas ao acervo, tendo como destaques, importantes séries de anfíbios e répteis do Brasil central e do sul da Amazônia. P.E. Vanzolini foi responsável pelas coleções de Herpetologia do MZUSP até Marco de 2002, quando foi substituído por Hussam El Dine Zaher.

Taxonomic range

Number of specimens in the collection

Click the Records & Statistics tab to access those database records that are available through the atlas.

Sub-collections

The Coleção Herpetológica do MZUSP collection contains these significant collections:

  • Sub-coleção de Tartarugas
  • Sub-coleção de Anfíbios
  • Sub-coleção de Crocodrilos
  • Sub-coleção de Serpentes
  • Sub-coleção de Lagartos

Usage statistics

Metadata last updated on 2019-08-07 16:14:10.0

Digitised records available through the Atlas

Looking up... the number of records that can be accessed through the SiBBr Click to view all records for the Coleção Herpetológica do MZUSP collection

No records are available for viewing in the SiBBr.

Images from this collection