Description

A coleção é formada por representantes do Reino Plantae ("sensu stricto"), nativas, invasoras ou cultivadas, principalmente de São Paulo, Minas Gerais e da Amazônia (Amazonas, Pará, etc.). Foi iniciada em 1935, mas possui exemplares anteriores a 1840. Inclui duplicatas do Museu de Paris e coletas de R.L. Froés, W.A. Ducke, J.M. Pires, G.A. Black, J.C. Novaes, A.P. Viégas, A. Carvalho, J.C. Medina, H.F. Leitão Filho e H.M. Souza entre outros. O acervo do Herbário IAC é o quinto maior do estado e conta com cerca de 55.000 exsicatas, sendo que os materiais-tipo somente agora estão sendo localizados e separados, somando, atualmente, 21 exsicatas. Um diferencial do Herbário IAC é possuir exemplares herborizadas das plantas melhoradas pelo Instituto, como café, arroz, feijão, milho e plantas ornamentais. O Herbário IAC, está registrado no Index Herbariorum (Holmegren et al. 1990), e, fisicamente, está dividido em Coleção Geral, Coleção de Cultivares, Flora do Arboreto Monjolinho, Materiais-Tipo e Flora das Estações Experimentais do IAC. As coleções de cultivares e do Arboreto Monjolinho representam cerca de 15% da coleção do total do Herbário IAC. Aproximadamente 70% do acervo estão representados por plantas nativas, mas conta também com plantas de várias partes do globo (10%) e plantas invasoras de várias famílias (15%). Arecaceae (Palmae), Asteraceae (Compositae), Euphorbiaceae, Fabaceae (Leguminosae), Flacourtiaceae, Myrsinaceae, Myrtaceae, Passifloraceae, Poaceae (Graminae), Rubiaceae e Solanaceae são exemplos de famílias com representação expressiva, no Herbário IAC. Em 1995 foi desenvolvido, pela equipe de computação do IAC, um programa utilizando a linguagem Clipper, que permitiu a informatização parcial do acervo (cerca de 18.000 registros, em DBF).

Em 2001, todos os registros informatizados foram recuperados para um banco de dados Access com o objetivo de possibilitar maior agilidade para consultas e maior confiabilidade no registro das informações, o que foi realizado pela analista de sistemas Raquel Lopes. A partir de 2002, quando o Herbário IAC contava com cerca de 20.000 dados informatizados, começou o desenvolvimento de um novo programa, através do qual os dados advindos do banco de dados anterior foram organizados, complementados e padronizados para elaboração de tabelas, utilizadas em caixas de seleção, e inserção no software atual. O sistema foi desenvolvido com as linguagens HTML, ASP, Vbscript e SQL, utilizando-se o banco de dados MySQL, sendo a comunicação WEB ao servidor de dados via fonte ODBC e conta, hoje, com dados de mais de 90% da coleção informatizados. Este programa conta com um módulo de manejo de dados (cadastrar, alterar e excluir) do herbário, intercâmbios de materiais e edição de tabelas (grande grupo, família, gênero, espécie, autor, país, estado, município, coletor, identificador, material-tipo, nome popular, endereços de herbários). O gerenciamento dos dados é feito localmente via navegador, através de IP válido somente para a rede interna, com acesso por senhas hierarquizadas, de modo que somente a senha máster tem acesso a todas as informações e edições de tabelas.

A disponibilização de informações parciais dos materiais constantes da coleção de plantas herborizadas é através de consultas em tempo real, via "Internet", através do "site" do IAC, no endereço http://herbario.iac.sp.gov.br/.

Taxonomic range

Kingdoms covered include: Fungi and Plantae.

Number of specimens in the collection

Click the Records & Statistics tab to access those database records that are available through the atlas.

Usage statistics

Metadata last updated on 2021-03-18 14:37:07.0

Digitised records available through the Atlas

Looking up... the number of records that can be accessed through the SiBBr Click to view all records for the Herbário do Instituto Agronômico de Campinas collection

No records are available for viewing in the SiBBr.

Images from this collection