Descrição

No final da década de 30, o então Museu Paranaense deu início a formação de uma coleção científica de aves, que teve enorme contribuição do naturalista e taxidermista alemão André Mayer. Sua contribuição ao Museu estende-se até meados da década de 60, tanto em relação às coleções científicas, como também à coleção expositiva, que possui 260 peças taxidermizadas em postura natural, com muitas espécies atualmente ameaçadas no Paraná, como Rhea americana, Spizastur melanoleucus, Spizaetus ornatus, Pipile jacutinga e Dryocopus galeatus. Esta época marca definitivamente o processo de coletas onde se destaca a participação de inúmeros pesquisadores, como por exemplo Rudolf Bruno Lange. A coleção ornitológica é composta principalmente de exemplares conservados por via seca através de taxidermia. A partir de 1989, todas as carcaças e vísceras dos animais taxidermizados também começaram a serem conservadas em meio líquido. Atualmente são 5933 registros de espécimes tombados, com os mais antigos do ano de 1938, correspondendo às primeiras coletas de André Mayer. A coleção ornitológica está representada por 24 ordens e 83 famílias que ocorrem no Estado com destaque de representatividade para Picidae, Tyrannidae e Formicariidae. Também integram este acervo coleções de ovos, ninhos e material osteológico.

Cobertura taxonômica

Número de specimens na coleção

Clique na guia Registros e Estatísticas para acessar os registros do banco de dados que estão disponíveis no SiBBr.

Ùltima atualização de metadados em 2019-06-06 13:48:41.0

Registros digitalizados disponíveis através do SiBBr

Nenhum registro de banco de dados para esta coleção pode ser acessado através do SiBBr.

Nenhum registro está disponível para visualização no SiBBr.

Imagens desta coleção